NOTICIAS DA HORA

Vilhena

Publicado em 19/05/2017 às 09h18

Justiça monitora com tornozeleiras vereadores e ex-vereadores vilhenenses

Em 2016, sete dos dez vereadores da Casa Legislativa foram presos em uma operação da Polícia Federal no município de Vilhena, sob suspeitas de participação em um esquema de recebimento de propinas para liberação de loteamentos na cidade. Após conclusão do inquérito pela PF, os parlamentares foram denunciados pelo Ministério Público pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.



Conforme informações da TV Rondônia/Vilhena, os ex-vereadores e vereadores reeleitos que atualmente estão em liberdade provisória, por força de um Habeas Corpus concedido pelo Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ/RO) para responderem ao processo em liberdade até o julgamento, tentam por todos os meios revogar as medidas cautelares impostas pela justiça estadual, assim como autorização para frequentarem igrejas e clubes em Vilhena.

Monitorados

Desde que deixaram a cadeia em março deste ano, os vereadores reeleitos e ex-vereadores presos por corrupção são monitorados por meio da tornozeleiras eletrônicas. O monitoramento que é feito por agentes da Colônia Penal em Vilhena, indica onde eles estão à noite, aos finais de semana, feriados ou se saíram da cidade, visto que conforme determinação judicial, todos eles devem estar em casa.

Assim, se por algum motivo alguns deles não estiver em casa, o sistema indicará onde se localiza e um alerta será emitido pelo equipamento.

Junior, Garcia, Carmozino e Peixoto

O vereador reeleito, Junior Donadon (PSD) e os ex-vereadores José Garcia (DEM) e Jairo Peixoto (PP) solicitaram permissão para frequentarem igrejas em períodos que são proibidos – por determinação judicial – de saírem de casa e foram atendidos. Junior Donadon ainda tentou mais um pedido – frequentar o clube aos domingos. Contudo, a Juíza de Direito, titular da 1ª Vara Criminal, Liliane Pegoraro Bilharva negou essa solicitação sob argumento de que o vereador pode frequentar ditas áreas de lazer em horários que são permitidos estar fora de casa, e que é ele que deve-se adequar às regras já estabelecidas e não o contrário.

Carmozino Alves também solicitou à justiça, a liberação para poder ir até Porto Velho para contratar um advogado, mas o pedido também foi negado pela magistrada, que afirmou que o parlamentar poderá fazer contato com advogados de várias formas, inclusive por meio das redes sociais. Recentemente, o parlamentar teve o mandato cassado pela 4° Zona Eleitoral por negociar tratamento de saúde a eleitores em troca de votos durante as eleições de 2016.

Suplente de Carmozino

O 1º suplente do vereador, Carmozino Alves é o ex-vereador Marcos Cabeludo (PHS). Ele que recentemente foi convocado pelo presidente da Câmara de Vereadores para entregar toda a documentação para posse esteve na manhã desta quinta-feira (18) na Casa Legislativa para solicitar a relação de documentos pertinentes ao caso, mas não quis falar com a imprensa.

Cabeludo foi preso ano passado na operação deflagrada pela Polícia Federal por suposto envolvimento no esquema de aprovação de loteamentos e afastado de suas funções legislativas.

Vale ressaltar que na última terça-feira, 16, a juíza de direito comunicou à Câmara de Vereadores que a medida cautelar de afastamento do ex-vereador ainda está em vigor e, que Marcos Cabeludo continua impedido de exercer as funções públicas.

A data da nova posse de Marcos Cabeludo ainda é incerta.

Graebin também teve pedido negado

No início deste mês, o também reeleito vereador, Vanderlei Graebin (PSC) solicitou a revogação das medidas cautelares no que se refere ao impedimento do exercício do mandato. Contudo, a titular da 1ª Vara criminal também negou a solicitação e o manteve afastado do cargo. No seu despacho, a magistrada alegou que se o parlamentar voltasse à Câmara poderia cometer novos crimes.

E Marta Moreira?

Conforme o site do Tribunal de Justiça, a ex-vereadora Marta Moreira não fez nenhum pedido à justiça estadual.

Sentença deve sair em breve

Carmozino Alves, Vanderlei Graebin e Marcos Cabeludo já aguardam a sentença da justiça em um dos dois processos que são réus. Já no segundo processo, os três estarão juntos com os outros quatro réus na audiência de instrução que está marcada para a próxima semana, dia 22 de maio.

*(Informações Quennia Mendes/Tv Rondônia)

Texto: Redação FV

Foto: Reprodução Tv RO

voltar para NOTICIAS DA HORA

show fsN normalcase left tsN fwR c05|left tsN fwB hide|left fwR show|c05 b02 bsd|||login news fwB tsN fwR tsY b02ne c10 bsd|normalcase fsN fwB c10 b02ne bsd|normalcase c10 b02ne bsd|login news normalcase b02ne fwB c10 bsd|tsN normalcase b02ne c10 bsd fwR|normalcase c10 b02ns bsd|content-inner||